The Hunger for Depth and Meaning Series B 2007 – “Crescendo em amor”

The Hunger for Depth and Meaning SERIES B 2007
JOHN MAIN OSB

Crescendo no amor

Todo aquele que persevera na meditação descobre que, embora durante nosso tempo de meditação pareça que nada acontece, ainda que gradualmente toda nossa vida é alterada. Temos que ser pacientes; Nós gostaríamos que ela mudasse mais rapidamente. Nossos pensamentos se tornam mais claros, nossos relacionamentos se tornam mais amorosos. Isso porque, no processo de meditação, nos tornamos livres para amar por Amar. A razão para tudo isso é realmente muito simples. Quando nós meditamos não apenas retornamos às operações próprias do nosso ser, mas começamos a encontrar um terrenos completamente novo para nos sustentar. Nós descobrimos um enraizamento do ser. Um enraizamento que não está em nós mesmos, mas descobrimos a nós mesmos enraizados em Deus. Enraizados em Deus, que é amor.

A paz, a quietude e a harmonia que experimentamos na meditação se tornam base de todas as nossas ações. Todas as nossas decisões são iluminadas, inspiradas, pelo amor, porque sabemos, então, que o amor é o fundamento do nosso ser. Tudo isso acontece porque aprendemos a coragem para tirar a atenção de sobre nós mesmos. Nós aprendemos a parar de pensar sobre nós mesmos. Nós nos permitimos ser – ser quieto, ser silencioso – e nessa quietude e silêncio nós encontramos a nós mesmos em Deus, no amor.

O que você vai descobrir é que a experiência é auto-autenticadora. Você irá perceber que quanto mais você medita, mais o seu dia parecerá ganhar forma e maior propósito terá na sua vida. Então, tanto mais você começa a ver significado em tudo, mais você irá descobrir o amor crescendo em seu coração. Agora, é possível que haja uma boa dose de maldade lá também, mas o amor está crescendo. Esse é o verdadeiro teste da meditação. Você não pode colocar qualquer teste materialista sobre a meditação, como por exemplo, “recebo visões fantásticas quando medito?”. O verdadeiro teste é o amor crescendo em seu coração.

Há dois anos atrás, um homem veio ao nosso grupo das noites de segunda-feira. Cada segunda ele faria a mesma pergunta: “Durante quanto tempo eu preciso fazer isso? Eu tenho meditado durante três, quatro meses, cada manhã e cada noite, e absolutamente nada está acontecendo. Está tudo muito bem para você, sentar ai e dizer que eu não tenho que ter nenhuma expectativa, que eu tenho que aceitar a disciplina, que eu tenho que ter fé. Mas, seguramente, algo tem que acontecer um dia”

Aquilo continuou até que uma noite ele não estava mais lá. No que estavam todos saindo, por volta das nove e meia, ele apareceu. Eu podia ver que algo tinha acontecido com ele. Havia sorrisos por todo o rosto. “Uma coisa extraordinária acabou de acontecer”, ele afirmou. “No que eu estava virando a esquina, na parte de baixo da ladeira, para vir até aqui, uma criança jogou sua bicicleta na frente do meu carro. Eu vi que ele fez aquilo propositalmente. Eu apenas toquei nela e parei imediatamente. Três crianças cercaram o carro e diziam: “Você terá que me indenizar, você quebrou minha bicicleta”. Eu fiquei impressionado com o quão calmo eu estava. Eu disse: “Vamos colocar a bicicleta no carro e nós iremos até o posto da polícia”. Ele teve algum trabalho para convencê-los mas, por fim, conseguiu e foram todos juntos. Ele disse que durante toda aquela situação estava simplesmente maravilhado com a sua atitude calma para aquela experiência.

O que ele me disse foi: “Bem, você sabe, eu não acho que alguma coisa acontecerá em minha meditação, mas vejo que vai mudar minha vida! “. Essa é a experiência de todos nós que meditamos. O grande teste de que sua meditação esteja “funcionando”, ou que você esteja fazendo “progresso”, não aconselho taxar dessa forma, é: Você está crescendo no amor? Você está crescendo em paciência, crescendo em entendimento, crescendo em compaixão? Esse é o “efeito” de nossa meditação. Com algum de nós leva mais tempo. Para alguns de nós o fim do egoísmo requer um grande esforço. As vezes nós somos levados como que esperneando para o Reino dos Céus. Mas o importante é não se preocupar com quanto tempo leva. A única coisa que importa, e a única coisa que eu gostaria de poder comunicar a todos aqui essa noite, é que a única coisa que importa é que estamos numa jornada. A jornada é uma jornada para fora de si mesmo, para fora do egoísmo, para fora do isolamento. É uma jornada para o amor infinito de Deus.

Tradução livre deste blog.

Um comentário sobre “The Hunger for Depth and Meaning Series B 2007 – “Crescendo em amor”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s