Se a luz que está em ti se tornar trevas…

“Quando me liberto pelo silêncio, quando não mais estou envolvido em calcular a vida mas em vive-la, posso descobrir uma forma de oração em que efetivamente não há distrações. Toda a minha vida se torna oração. Todo meu silêncio está repleto de oração. O mundo de silêncio em que me acho imerso contribui para a minha oração.

A unidade – tarefa da pobreza na solidão – reúne todas as feridas da alma e as cicatriza. Enquanto permanecemos pobres, enquanto estamos vazios, em nada interessados a não ser em Deus, não podemos estar distraídos. Pois a nossa própria pobreza nos impede de sermos “esquartejados”.

Se a luz que está em ti se tornar trevas…

Suponhamos que minha pobreza seja uma fome secreta de riquezas espirituais; suponhamos que, fingindo estar vazio de mim mesmo, fingindo ser silencioso, estou em realidade tentando fazer agrados a Deus para que ele me enriqueça com alguma experiência – o que então acontece? Tudo se torna uma distração.  Todas as coisas criadas se interpõe à minha busca de uma experiência particular. Tenho de repeli-las ou elas me esquartejarão. O que é pior – eu próprio sou uma distração. Entretanto, o mais triste de tudo – se minha oração está centrada em mim mesmo, se procura apenas um enriquecimento próprio, será ela, potencialmente, minha maior distração. Repleto da minha própria curiosidade, provei da árvore da ciência, separando-me de mim mesmo e de Deus. Permaneço rico e só, e coisa alguma pode saciar-me a fome; tudo que toco se transforma em distração.

Que eu procure, pois, o dom do silêncio, da pobreza e da solidão, onde tudo que too se transforma em oração; onde o céu é minha oração, os pássaros são minha oração, o vento das árvores é minha oração, pois Deus é tudo em tudo.

Para que isso aconteça tenho de ser pobre. Nada devo procurar; mas devo contentar-me com o que recebo de Deus (…) A verdadeira pobreza é, portanto, um receber e um dar graças (…) A falsa pobreza finge não precisar, finge não precisar, finge não pedir, esforça-se por tudo conseguir e recusa ter gratidão pelo que for˜

THOMAS MERTONNa Liberdade Da Solidão 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s