Como dizia Pascal…

Abaixo, trecho da carta de Dom Laurence.

“A tradição contemplativa diz que a moral não é suficiente para nos ajudar a realizar o pleno potencial da consciência. Não basta fazer o bem, guardar os mandamentos e evitar fazer mal aos outros. “Não seja mau”, é um bom preceito, como acreditavam os fundadores do Google, mas é elementar. Temos que “ser bons”, que envolve descobrir o que realmente significa ser e que a experiência de ser é o único caminho natural para saber que somos bons. A menos que os experimentemos, temos pouca ideia do que significam o bem e o mal, e por isso facilmente denunciamos como mal tudo o que não corresponde à nossa visão paroquial de bondade. Esta é a armadilha especial que espreita as pessoas religiosas. Pascal pensava que “os homens nunca fazem o mal tão completa e alegremente como quando o fazem a partir de uma convicção religiosa”. Em outro famoso aforismo Pascal disse, o que qualquer meditante é capaz de entender, que todo o mal humano provém de uma única causa: “nossa incapacidade de ficar parados em um ambiente.”

Laurence Freeman, OSB
Traduzido por Evangelina Oliveira 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s