Nada é óbvio quando se ama

Onde tudo é óbvio, nada parece digno de atenção a não ser nós mesmos. Então, nos tornando nossa maior distração, nossa atenção não repousa mais sobre coisa alguma. Amar se torna uma idéia abstrata à serviço da reflexão e a vida mera ocasião para nossas voluntariosas bravatas. Tirar a atenção de sobre nós mesmos é a grande arte da vida, é o que transforma um paradoxo em paradigma, e por isso é a arte de aceitar, de silenciar diante do óbvio que se refaz mistério. Como sempre foi. Como sempre será. É a arte de amar.

Talvez por isso seja tão difícil amar de verdade, sem afetações românticas ou narcisistas, porque com a atenção sobre nós mesmo, todo mistério é óbvio. Quando contrário, todo óbvio é um maravilhoso mistério.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s