Palavras pesam

As palavras pesam.

Falar é dar vida as idéias. As palavras pronunciadas mais revelam aquele que fala do que a verdade que se quer revelar. É gerada na vontade de expressar, mas herda o coração, que bate na língua, de quem se põe a falar. Com ela se edifica a paz, mas com mesma ortografia, também a destruição, pois ainda que não mude letra, muda-se a intenção.

Falar demais dá vida a futilidades e idéias retóricas que transformam a doce aceitação numa acusação de paternidade sobre a qual nos reconhecemos responsáveis. Depois de ditas não se pode diserdá-las. Ou aprendemos a transformá-las ou fazemos do mundo um depósito estéril de palavras mortas.

As palavras pesam principalmente porque nos cobram coisas que não compreendemos ou não nos importam realmente. Criamos uma realidade irresponsável que pode ser acreditada por outra pessoa, ou por nós mesmos. Pesam ao nos apontarem os prejuízos que causamos quando, não nos importando com o que estamos dizendo, estamos sendo ouvido por alguém que se importa com o que está sendo dito.

As palavras pesam e precisam ser descarregadas ou acolhidas.

Por isso é muito importante aprender a usar as ferramentas de transformação de tudo aquilo que nasce da intemperança, da imprudência e da nossa insensatez. Ferramentas que transformam e nos reconciliam, além de tudo, com nós mesmos. Eis o perdão. O perdão que pedimos. Esse não deserda nossas palavras, mas transformam elas em marcos visíveis de nosso desenvolvimento. O perdão oferecido. Aquele que não nos transforma em acusadores do erro alheio mas em medicina que cura e ajuda o outro a crescer.

Mas não precisamos descarregar todas as palavras no aliciante convite da língua, transformando o que vemos claramente em algo que não poderemos mais entender. Não precisamos falar cada palavra que se nos apresenta, pois elas podem ser acolhidas e verificadas na paz do silêncio.

Do silêncio que despe as vaidades e necessidades irreais.

Do silêncio que afastam suas letras e, devolvidas ao alfabeto,
nos devolvem a chance de recomeçar.


Com menos letras.


Palavras mais leves.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s