Laurence Freeman

Vício e Graça

Laurence_Freeman

Espiritualidade em um era secular – Laurence Freeman

TALKS SERIES 2009 B · APR–JUN
LAURENCE FREEMAN OSB

“É muito importante para nós hoje entendermos o que é vício. Num certo sentido vivemos em uma sociedade muito viciada. Toda nossa configuração hoje é socialmente projetada para nos tornar viciados em várias coisas, seja televisão, banda larga, bebida, o uso abusivo de substâncias, seja trabalhar em excesso, ou não trabalhar. Seja numa margem ou noutra nós somos sempre encorajados a depender, a nos tornar viciados. (…) A ligação do pecado não é para com a punição mas para com a graça. Isso é o que São Paulo realmente diz, onde o pecado está presente, tanto mais está a abundância da graça. Onde o há pecado você encontra graça, não punição. “

 O áudio original com a transcrição traduzida para português pode ser acessada no link:  VÍCIO E GRAÇA

Eucaristia e Silêncio

EUCARISTIA E SILÊNCIO
Leia o texto de D. Laurence no link : Eucaristia & Silêncio
Abaixo um pequeno trecho sobre dois tipos de silêncio encontrados em São Bento.

“… São Bento utiliza duas palavras que nós traduzimos por silêncio: quies e silentium. A quies é o silêncio físico, a ausência de barulho – não bater com as portas, não arrastar as cadeiras, não tossir nem amachucar papeis de rebuçados. É o silêncio que é suposto os bons pais ensinarem aos filhos: discrição e modéstia materiais em que se respeita a presença do outro. A quies torna o mundo habitável e civilizado. Faz infelizmente muitas vezes falta na cultura urbana moderna em que o barulho invade até os elevadores e onde é raro, tanto no tempo como no espaço, podermo-nos encontrar fora do alcance de barulho de origem humana. Até já se vendem capacetes dispendiosos, especialmente concebidos, não para escutar música, mas para nos isolar de barulhos exteriores.

silentium, pelo contrário, não designa uma ausência de barulho mas um estado de espírito e uma atitude consciente da presença dos outros e de Deus. É atenção. Quando uma pessoa se dirige a um padre ou conselheiro para lhe falar de um problema ou de um desgosto, o padre sabe que acima de tudo o que lhe deve dar é atenção. Pode dar-se o caso do seu problema não ter solução e, na maior parte das vezes, as palavras que se espera que tenham alguma utilidade passam ao lado da dor. Escutar com atenção, dar-se a si mesmo, totalmente, no acto de prestar atenção , não se trata de julgar, colocar-se no lugar do outro ou condenar, mas amar. De facto, deste ponto de vista, nada se assemelha mais a Deus do que o silêncio, porque Deus é amor.

Mais tarde examinaremos o sentido do sacrifício da Eucaristia e como este se revela no silêncio. Para já, gostaria de relacionar o acto de atenção com o dom de si… “

D.Laurence Freeman

Retiro de silêncio do Seminário John Main 2012

Seja quem você é

“A compreensão cristã de que Jesus é o Verbo encarnado transforma a maneira pela qual olhamos para a nossa própria humanidade, e também o mundo natural de que somos parte integrante. “Nada que não esteja contra a Natureza está contra Cristo” (Clemente de Alexandria) Em nossos tempos, precisamos abraçar este discernimento libertador com mais coragem, de modo que o mistério do Cristo possa passar a ser completamente transformador. Contudo, este não é apenas um projeto teológico. Ele começa, e encontra sua culminância, no nível profundamente pessoal da experiência.   E, é por isso que a meditação em nossa própria tradição é tamanha benção e necessidade: ela nos abre, ao mesmo tempo, para o mistério do Cristo interior e, para o do Cristo cósmico. Nossa meditação diária, nos conduz ao autoconhecimento, e também nos dá um novo vocabulário com o qual compreendemos e comunicamos a própria Palavra”

Assista os videos do retiro na página :JMS 2012 – Retiro de Silêncio “Seja quem você é”
Mais videos da WCCM no canal do YouTube MeditatioWccm

Meditação com Crianças – Conferências

Esta tradução de autoria de Rui Gomes Souto foi gentilmente enviada por Maria Cristina Sousa da Comunidade Mundial para a Meditação Cristã de Portugal para a Coordenação da Comunidade em São Paulo e está sendo replicada aqui.

Meditação com Crianças
LAURENCE FREEMAN OSB , Dr.ª Cathy Day,  Rev. John Stroyan

A Meditação com Crianças é uma extensão importante da WCCM. Estas conferências foram seleccionadas das apresentações feitas num Seminário MEDITATIO, no Reino Unido, em 2010. Curtos períodos de meditação podem ajudar os professores, educadores e pais a alimentar o desenvolvimento como um todo das crianças. Benefícios como o alívio do stress e a atenção florescem gradualmente em frutos espirituais como o amor, a alegria, a paz e a gentileza. A experiência mostra que as crianças conseguem e gostam de meditar. Laurence Freeman OSB é o director da Comunidade Mundial de Meditação Cristã (WCCM); a Dr.ª Cathy Day é a directora do Serviço de Educação Católica, em Townsville, Austrália; o Rev. John Stroyan é Bispo de Warwick, RU.

Índice:

  1. Será que Deus Tem Preferidos?
  2. A Capacidade para a Contemplação
  3. Os Benefícios e os Frutos Espirituais da Meditação
  4. A Meditação Cristã nas Escolas de Townsville
  5. A Meditação na Renovação da Vida Espiritual
  6. Como, em Silêncio, É Oferecido o Dom Maravilhoso
  7. O Caminho da Simplicidade

“Ensinar, educar crianças é uma experiência espiritual. Seja como for que o entendamos, seja qual for o sistema que usemos, por muito que o profissionalizemos, o ensino e a educação de uma criança são experiências espirituais. São um valor com circulação universal, transcendendo todas as culturas. E é por isso que ser professor e ser pai são vocações da mais elevada ordem.”
Laurence Freeman OSB

Conheça também a pedagogia da Escola Infantil Caminho do Meio.

Tradução de alguns Podcasts de John Main e Laurence Freeman

Foram adicionados ao blog as traduções de alguns Podcasts da Comunidade Mundial para Meditação Cristã. Você pode ouvir os áudios em inglês, na voz do diretor da comunidade (D. Laurence Freeman) e do fundador (D. John Main), nos links que acompanham o inicio das traduções. Boa leitura.

Paz e Graça.

Traduções de leiutras e audios sobre meditação retirados do site da comunidade (www.wccm.org)

Conflitos

‎”Opostos criam conflitos, e o conflito nos assusta, pois parece ser uma perda da paz. Na verdade, o conflito, suportado corretamente e sem violência, é a maneira de aprofundar nosso conhecimento da “paz que excede toda a inteligência”. Confrontado com as contradições e fracassos da vida, o espírito nos convoca a aceitá-los e integrá-los, em um nível mais profundo do que a mente comum, em vez de negar e fugir deles como somos tão facilmente tentados fazer. Rejeitar ou negar o paradoxo em nossa vida é trágico mas também, muitas vezes, contém um traço do absurdo (…) a menos que consigamos ver a diferença entre paradoxo e fracasso condenamo-nos a repetir os padrões de auto-rejeição e desespero. Ver nosso próprio absurdo em lidar erradamente com os problemas da vida pode levar-nos a sabedoria.

Precisamos apelar para a sabedoria que vive mais fundo do que a dor em nossa alma. Como Simone Weil disse, sob nossos mais profundos lamentos está a pérola do silêncio de Deus. A sabedoria nos convoca a suportar e nos dá forças para além do horizonte de nossas expectativas. Mas esta é uma luta, e o sucesso é pouco provável se estivermos completamente sozinhos”

Trecho da carta de D. Laurence Freeman no boletim internacional de Dezembro de 2011 para a Comunidade Mundial para Meditação Cristã.

Reflexão da 3° Semana do Advento – Um Lar dentro de nós

“(…) É a espera na esperança e a vida na verdade do momento, com cada sopro respirando a verdade. Trata-se de ser firme com a verdade mesmo nos pequenos compromissos e nas exceções motivadas politicamente que desbastam nossa integridade. A meditação é uma espécie de deserto, onde só a verdade pode existir. Nossa prática nos ensina a viver feliz lá, para torná-la nosso lar com toda a sua simplicidade e nenhuma necessidade de mobiliário. Então ela floresce com o amor que a verdade serve, e descobrimos que somos solitários, mas não estamos sozinhos, somos nós mesmos e não apenas egos isolados tentando sobreviver e se defender. Nós florescermos com a brava liberdade do Batista, que sabia que estava a serviço de algo maior que ele mesmo. Se soubermos disso, então nenhum preço é demasiado grande a pagar”

Durante o Advento, D. Laurence envia suas breves mensagens semanais de incentivo e reflexão através do site oficial da comunidade e dentro do possível estarão aqui traduções dessas reflexões.

Reflexão da 3° Semana do Advento – Um Lar dentro de nós

Reflexão da 2° Semana do Advento – Viver na Esperança

“(…) Uma esperança desabrocha à medida que outras morrem. Esperanças são desejos velados ou fantasias que usamos como substitutos para a realidade ou como defesas contra decepções e sofrimentos. Muitas vezes precisamos tremer à beira do desespero e do desprendimento da vontade antes de descobrir o sentido de esperança. Antes, porém, de chegar a esse limiar, começamos nos agarrando a falsas esperanças. Os Joãos Batistas de nossas vidas – aqueles que sozinhos dão consolo autêntico – não são arautos da desgraça, mas pregadores da realidade. (…)”

Durante o Advento, D. Laurence envia suas breves mensagens semanais de incentivo e reflexão através do site oficial da comunidade e dentro do possível estarão aqui traduções dessas reflexões. A segunda reflexão nos diz que uma esperança nasce quando todas as outras morrem e pode ser lida em:

Reflexão da 2° Semana do Advento – Viver na Esperança

Reflexão da 1° Semana do Advento – Vigiai, Permanecei Despertos.

Durante o Advento, D. Laurence envia suas breves mensagens semanais de incentivo e reflexão através do site oficial da comunidade e dentro do possível estarão aqui traduções dessas reflexões. A primeira reflexão nos exorta a perseverar na meditação para nos mantermos desperto para a realidade.

Reflexão da 1° Semana do Advento – Vigiai, Permanecei Despertos.

Quietude, Silêncio e Simplicidade, Elementos Essenciais da Contemplação

Novo podcast adicionado em The Essential Of Christian Meditation08 Stillness, Silence and Simplicity

“(…) Essa é a sabedoria da tradição contemplativa, mover-se da mente para o coração, dos pensamentos para o silêncio. Silêncio é a ausência de pensamentos … Mestre Eckhart diz que não há nada tão parecido com Deus que o silêncio. E a razão para isso é que silêncio não é apenas ausência de ruídos. Quando meditamos procuramos um tempo e um lugar quieto, externamente silencioso, mas isso não é realmente o que esse silêncio significa. Silêncio é atenção. Quando prestamos atenção a algo, realmente prestando atenção, estamos sendo silentes. Então se nada é tão parecido com Deus como o silêncio é por nada ser tão de Deus como pura atenção, puro amor. Quando tiramos a atenção de sobre nós mesmos, amamos aquele a quem damos essa atenção. Por isso na tradição mística do cristianismo, o trabalho da contemplação é o trabalho do amor, porque é o trabalho do silêncio, porque o trabalho do silêncio é o trabalho da atenção (…)” - Laurence Freeman (OSB)